Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \18\UTC 2009

Depois de 9 dias de luta no norte do ES, Petrobrás e Governo do estado finalmente atenderam às principais reivindicações do Movimento e da comunidade de São Mateus quantos aos problemas causados pela atuaçao da empresa na região, e o acesso aos terminais de petróleo, fechados desde o dia 09, foi liberado.

O fim da manifestação conteceu na tarde de ontem (17), após resultado de uma reunião realizada em Vitória com  a presença de 12 representantes do MPA e da comunidade, do Vice-governador do Estado, Ricardo Ferraço, do secretário de Estado, José Eduardo Farias de Azevedo e do gerente da Petrobrás, Luiz Rogério Silva Ramos.Também participaram da reunião o Prefeito de São Matheus, Amadeu Boroto,  o presidente da Câmara legislativa da cidade, Jailson Barbosa.

Na reunião os representates do movimento formalizaram todas as denúncias sobre os crimes ambientais e sociais causados pela empresa, e cobraram da Patrobrás uma postura mais responsável diante impactos causados pela atividade de extração de petróleo.

Na pauta de reivindicação estava também o asfaltamento da rodovia que liga São Mateus à Barra Nova, principal via de escoamento da produção camponesa, que ficava constantemente danificada em função do fráfego de carretas e caminhões que atendiam à empresa. A petrobrás e o governo do estado se comprometeram em iniciar as obras de asfaltamento até o mês de junho do próximo ano. Ao todo, serão 29 km de rodovia asfaltada, que facilitarão o transporte da produção agrícola e pesqueira da região.

O movimento cobrou também um maior diálogo da empresa com a comunidade local, e destacou a truculência com a qual vinham sido tratados pelos representantes da empresa até o momento.

Durante os 9 dias de manifestação, cerca de 600 camponeses e moradores locais mantiveram interditados os 3 terminais de petróleo do Norte do Estado, TNC, FAL e SM-8, além de estradas da região que davam acesso aos terminais, paralizando quase todas as atividades de extração e armazenamento de petróleo no Norte do estado.

Anúncios

Read Full Post »

Depois de 7 dias de protesto e fechamento dos terminais de Petróleo no norte do estado, sem nenhuma resposta da Petrobrás ou do governo estadual quanto às suas reivindicações, os integrantes do Movimento dos Pequenos Agricultores fecharam na manhã de hoje, 16, mais três pontos de acesso às unidades da Petrobrás.

Desde a madrugada de quarta-feira, dia 09, o Terminal Norte Capixaba (TNC) e as Unidades SM-8 e FAL se encontram interditados pelo movimento. Hoje foram fechadas também a antiga estrada do “gualter”, o “posto paulista” e as “3 pistas”, que ligam a BR 101 à região do Nativo.

Com essa ação, vários pontos de extração, e todos os pontos de armazenamento e embarque de petróleo no Norte estão paralizados. Segundo alguns trabalhadores da própria Petrobrás, cerca de 800 funcionários da empresa estão parados em função da mobilização.

Há uma semana os camponeses e moradores locais reivindicam soluções para os problemas causados pela atividade de extração de Petróleo no Norte do Estado, e cobram do Governo Estadual e da empresa ações para dar fim aos impactos ambientais e socias vivenciados pela população da região.

Os camponeses denunciam crimes ambientais como a destruição de áreas de preservação do Nativo e a contaminação da águal com produtos químicos utilizados na extração do óleo. A atuação da Petrobrás também tem causado outros impactos como a falta de água nas comunidades locais e a danificação das estradas em função do tráfego de carretas e caminhões que prestam serviço à empresa. Por isso, o movimento reivindica também o asfaltamento da rodovia que liga Barra Nova a São Mateus, principal via de escoamento da produção agrícola e pesqueira.

A agricultura e a pesca são duas importantes atividades econômicas das comunidades locais, e com as péssimas condições da estrada, os moradores sofrem cotidianamente para garantir o transporte da produção de alimentos.

Representantes da Petrobras já se reuniram com o governo do estado e com a gerȇncia regional da empresa, mas ainda não apresentaram nenhuma resposta ao movimento.A perspectiva é de que a paralização seja intensificada enquanto permanecer o silêncio e o “jogo de empurra” de responsabilidades entre governo estadual e empresa.

Read Full Post »

Há mais de 30 horas camponeses e camponesas do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) ocupam a entrada de 3 terminais de petróleo localizados no municipio de São Mateus, norte do Espírito Santo, e interditam a entrada de carros, caminhões e funcionários.

Os agricultores querem respostas da empresa e do poder público quanto aos impactos causados pela atividade de extração de petróleo na região, que incluem a danificação das estradas, a poluição da água local e a destruição de áreas de preservação ambiental permanentes.

O Terminal Norte Capixaba (TCN), e as unidades “SM-8” E “FAL” permanecem fechados desde a madrugada de quarta-feira, dia 14, e o movimento so irá liberar os terminais quando conseguir soluções efetivas para os problemas enfrentados pela população local. Segundo os agricultores que moram na região, é comum a utilização de produtos químicos que prejudicam a qualidade da água, além das constantes escavações e perfurações que causam grande prejuízo ao meio ambiente.

O movimento reivindica também o asfaltamento da rodovia que liga São Mateus à Barra Nova, local onde estão situadas as três unidades de terminais ocupadas. A rodovia é a principal via de escoamento da produção camponesa, e fica constantemente danificada devido ao tráfego de carretas que circulam para atender à empresa, prejudicando os moradores da região.

Desde o início da mobilização os camponeses aguardam um diálogo com a Petrobrás e a Prefeitura, mas nem empresa, nem administração municipal apresentaram respota às reivindicações do movimento. A mobilização deverá continuar por tempo indeterminado.

Read Full Post »

Cerca de 600 camponeses e camponesas do Movimento dos Pequenos agricultores (MPA) interditaram na madrugada desta quarta-feira, 09, a entrada de três terminais de petróleo da Petrobrás, localizados no município de  São Mateus, no norte do Espírito Santo.

Por volta das 3 horas da manhã, os camponeses fecharam as entradas do Terminal Norte Capixaba (TCN) e das unidades “SM-8” e “FAL” reivindicando o asfaltamento da rodovia que liga São Mateus à Barra Nova, local onde estão situadas as três unidades de terminais ocupadas. A estrada é a principal via de acesso à Barra Nova, e fica constantemente danificada devido ao tráfego de carretas que circulam para atender à empresa, prejudicando os moradores da região.

O MPA também pretende discutir com o poder público e com a petrobrás o problema da contaminação da água e de outros impactos ambientais que vêm sendo causados na área pela atividade de extração de petróleo. Segundo os agricultores que moram na região, é comum a utilização de produtos químicos que prejudicam a qualidade da água local, além das constantes escavações e perfurações  que causam grande prejuízo ao meio ambiente. Até o momento a empresa ainda não se propôs a dialogar com o movimento, e a  manifestação não tem previsão para acabar.

Read Full Post »

Nesta madrugada, do dia 3 de dezembro, mais de 70 famílias de várias comunidades geraiseiras da Região do Alto Rio Pardo (Norte de Minas), juntamente com os Movimentos da Via Campesina, retomaram parte do seu território, terras do Estado, tomadas por empresas de monocultivo de eucalipto. A ocupação está sendo realizada em uma área de 3.600 ha da empresa REPLASA. Essas famílias, expropriadas pelas empresas na década de 70 e 80, lutam pela retomada de seu território e exigem a retirada da referida empresa de suas áreas e a regularização das terras para uso das comunidades. Para isso elas exigem ação imediata do ITER e do INCRA, que vêm tratando com morosidade e descaso as questões relacionadas às comunidades rurais. As comunidades, através da sua luta, estão revitalizando suas terras de morada, recuperando nascentes e terras destruídas pelas empresas; Trazendo seus filhos de volta do corte da cana em São Paulo, da colheita do café no Sul de Minas, das periferias das grandes cidades, para projetos produtivos que convivem com o bioma Cerrado, produzindo alimento em equilíbrio com o meio ambiente.

Um pouco mais da História

O Rio Pardo de Minas, norte de Minas Gerais, foi durante a década de 1970, período da ditadura militar no Brasil, alvo da expropriação de terras por parte de empresas transnacionais e nacionais de plantio de monocultura de espécies exóticas, como eucalipto. Tais empresas, subsidiadas pelo Estado, expulsaram centenas de famílias das terras devolutas para se instalarem na região.  O uso das terras devolutas no estado está no centro de um conflito que envolve comunidades rurais, empresas reflorestadoras de eucalipto e o Estado. As empresas arrendaram as terras devolutas por preço insignificantes. Esses arrendamentos foram realizados num período em que não havia limite para alienação de propriedades públicas e os contratos  começaram a vencer a partir de 2003, mas por pressão das reflorestadoras e siderúrgicas, o governo de minas vem renovando-os com as empresas.

As conseqüências da invasão e do avanço de empresas como a Floresta Minas, Replasa Rio Dourado e Rui Macedo Sapuriti na região foi e é catastrófica, pois não foi considerado por parte do Estado que as áreas já eram historicamente habitadas por famílias que utilizavam das plantas do cerrado, das chapadas e de formas coletivas para organizarem suas formas de produção e reprodução neste território. Atualmente várias famílias das comunidades rurais frente ao descaso do poder executivo e legislativo vêm se organizando juntamente com os movimentos sociais do campo -Via Campesina Brasil para a retomada legítima do território. A luta dessas comunidades tem significado para os camponeses, geraizeiros e agricultores que a justiça tem os olhos e ouvidos fechados para o povo. Mas que através da organização e luta é possível construir uma nova forma de exercer poder popular e que este sim está em favor e em prol da defesa pelo território e da vida!

Read Full Post »